Denise (MT), 07 de julho de 2020 - 02:14

? ºC Denise - MT

Mundo

Redeven 28/05/2020 15:03

Comunidade de venezuelanos no Brasil se pronuncia contra deputado petista

A rede venezuelana refere-se no pronunciamento ao fato ocorrido em 13 de novembro de 2019, dentro da Embaixada da Venezuela, em Brasília, quando em uma filmagem o deputado do PT foi gravado agredindo fisicamente cidadãos do país vizinho.

 A Rede de Venezuelanos no Brasil (Redeven) publicou um comunicado na quarta-feira (20/5), condenando atos do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).

No documento, os venezuelanos se pronunciam para “condenar os reiterados atos de desrespeito do deputado federal do Partido dos Trabalhadores (PT-RS), Paulo Roberto Severo Pimenta, ao povo da Venezuela“.

A rede venezuelana refere-se no pronunciamento ao fato ocorrido em 13 de novembro de 2019, dentro da Embaixada da Venezuela, em Brasília, quando em uma filmagem o deputado do PT foi gravado agredindo fisicamente cidadãos do país vizinho.

Em defesa dessa ditadura, o deputado Pimenta tem adotado um comportamento vergonhoso que não está à altura da função parlamentar que representa. Isso ficou evidente quando, em 13 de novembro de 2019, foi gravado enquanto agredia fisicamente a cidadãos venezuelanos dentro da Embaixada da Venezuela em Brasília, que, pelas disposições do direito internacional, é território sob a jurisdição do Estado venezuelano.“, escreve a Redeven.

Confira um vídeo

Os venezuelanos também se manifestam no documento contra a postura do deputado no processo de repatriação do corpo diplomático de Nicolás Maduro.

Recentemente, em coordenação com o regime de Caracas, o deputado federal se prestou para a politização do processo de repatriação do corpo diplomático de Nicolás Maduro atuante no Brasil, com base em argumentos falsos que só pretendiam interferir numa prerrogativa que é exclusiva do poder executivo brasileiro, como é a de gerir as relações diplomáticas com outros Estados. Tudo para criar um “jogo de cena” e impedir a expulsão inevitável dos diplomatas. Inevitável, pois suas cartas credenciais já estavam vencidas e porque estavam usurpando funções em nome de um regime que já não é mais reconhecido pelo Estado brasileiro e mais outros 50 Estados.“, escreve a Redeven.       

Confira abaixo o comunicado emitido pela Redeven

COMUNICADO: A COMUNIDADE DE VENEZUELANOS NO BRASIL SE PRONUNCIA PARA CONDENAR OS ATOS DE DESRESPEITO DO DEPUTADO FEDERAL PAULO PIMENTA (PT) COM O SOFRIMENTO DO POVO VENEZUELANO

 A rede de venezuelanos no Brasil se pronuncia perante a opinião pública brasileira para condenar os reiterados atos de desrespeito do deputado federal do Partido dos Trabalhadores (PT-RS), Paulo Roberto Severo Pimenta, ao povo da Venezuela, e que constituem uma afronta às vítimas da ditadura de Nicolas Maduro.

É de conhecimento público que a Venezuela padece uma crise política, econômica e social sem precedentes no continente, cuja única e exclusiva responsabilidade pertence à ditadura de Nicolas Maduro. Vinte e um anos de chavismo apenas conseguiram o mérito de alcançar graus de destruição superiores aos de países que experimentaram terríveis conflitos bélicos. Entre 2014 e 2019, conseguiram reduzir o Produto Interno Bruto (PIB) em mais de 65%. No mesmo período, conseguiram colocar a Venezuela na liderança do ranking mundial da fome, somente atrás do Iêmen, da República Democrática do Congo e do Afeganistão.

A nível político, o chavismo destruiu a institucionalidade democrática e os canais que teriam permitido dirimir as diferenças, como é o normal em sistemas democráticos. E, sem importar o sofrimento dos cidadãos que padecem as consequências da emergência humanitária complexa que existe no país, Nicolás Maduro se nega a permitir a criação de um governo de emergência nacional que seja capaz de devolver o país aos trilhos democráticos e que permita começar a resolver nossos problemas de forma pacífica, democrática e constitucional.

Apesar das evidências irrefutáveis sobre a responsabilidade de Nicolás Maduro sobre a crise venezuelana, o deputado Paulo Pimenta tem agido como principal aliado desta ditadura no Brasil, numa absoluta falta de respeito com o sofrimento dos mais de 260 mil venezuelanos que residem neste país.

Em defesa dessa ditadura, o deputado Pimenta tem adotado um comportamento vergonhoso que não está à altura da função parlamentar que representa. Isso ficou evidente quando, em 13 de novembro de 2019, foi gravado enquanto agredia fisicamente a cidadãos venezuelanos dentro da Embaixada da Venezuela em Brasília, que, pelas disposições do direito internacional, é território sob a jurisdição do Estado venezuelano. Essa ação ilegal ocorreu apesar da recorrente apelação ao argumento da soberania nacional e da necessidade de uma “solução entre venezuelanos” para evitar que o regime de Nicolás Maduro responda internacionalmente pelos crimes cometidos e que foram extensamente documentados por organismos multilaterais como a Organização de Estados Americanos e as agências do sistema de Nações Unidas.

Recentemente, em coordenação com o regime de Caracas, o deputado federal se prestou para a politização do processo de repatriação do corpo diplomático de Nicolás Maduro atuante no Brasil, com base em argumentos falsos que só pretendiam interferir numa prerrogativa que é exclusiva do poder executivo brasileiro, como é a de gerir as relações diplomáticas com outros Estados. Tudo para criar um “jogo de cena” e impedir a expulsão inevitável dos diplomatas. Inevitável, pois suas cartas credenciais já estavam vencidas e porque estavam usurpando funções em nome de um regime que já não é mais reconhecido pelo Estado brasileiro e mais outros 50 Estados.

Portanto, como cidadãos venezuelanos residentes no Brasil, condenamos categoricamente as posturas tomadas pelo deputado Paulo Pimenta que em nada representam o sentir e o desejo do povo venezuelano. Essas posturas tampouco contribuem para a reconstrução das instituições democráticas venezuelanas e para atenção da crise que padece o nosso país.

Repudiamos a atuação de um deputado, que, se supõe entender a importância do Parlamento para os sistemas democráticos, mas apoia abertamente um regime que tem violentado de forma reiterada a imunidade parlamentar dos seus pares deputados na Venezuela e que hoje mantém cinco deles em injusta prisão.

Um democrata não defende ditaduras. Por isso, esclarecemos que a posição do deputado Paulo Pimenta jamais nos representará.


1070x100

Click Denise

Todos os direitos reservados
É proibido a cópia total ou parcial do conteúdo, e a reprodução comercial sem autorização.
Denise- MT

Contato

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo