Denise (MT), 25 de setembro de 2020 - 11:43

? ºC Denise - MT

Acontecimentos

02/12/2019 06:27

Suposto projeto para “fechamento de igrejas” causa treta entre prefeito e vereador de Tangará da Serra

Quem segue o prefeito Fábio Junqueira (MDB) e o vereador Carlinhos da Esmeralda (PSC) no Facebook, acompanhou uma troca de farpas e acusações acaloradas neste domingo, 1º de dezembro. O motivo da treta seria um suposto projeto, também supostamente apresentado por Junqueira, o qual teria como medida o fechamento de igrejas em Tangará da Serra.

Tudo começou quando Junqueira postou em sua página no Facebook uma informação de que o vereador Carlinhos estaria convocando os pastores das igrejas evangélicas da cidade para uma reunião, uma vez que, segundo o parlamentar, o prefeito havia apresentado um projeto de lei para fechar as igrejas da cidade.

O prefeito nega veementemente tal informação.

O Tangará em Foco não teve acesso a tais áudios.

A postagem do prefeito diz o seguinte:

“Senhores Pastores da cidade de Tangará da Serra. Ouvi um áudio que me foi enviado por um cidadão e identifiquei como sendo a voz do Vereador Carlinhos da Esmeralda. Fiquei impressionado como pode um Vereador mentir dessa forma para as pessoas. Está convocando pastores para uma reunião na Câmara alegando que enviei um projeto para fechar igrejas. Como pode uma pessoa ser tão mentirosa assim. Peço aos Senhores que não deem credibilidade a essa fala absurda desse Vereador, que não tem nenhum fundamento e que desconheço a origem. Peço que informem aos conhecidos sobre essa mentira espalhada por esse cidadão. Ao contrário do que o Vereador alega, eu revogue até uma lei que exigia EIV de igrejas pois a Constituição Federal torna imune as igrejas a qualquer exigência de localização e funcionamento e garante imunidade fiscal de igrejas como garantia do princípio da liberdade de culto”.

O vereador Carlinhos da Esmeralda reagiu logo em seguida, dando a entender ser ele o autor de tais áudios (evidenciados pelo prefeito) e expondo que se sentiu lesado pela declaração de Junqueira que, segundo ele, foram caluniosas. “(…) venho à público manifestar minha indignação quanto a uma nota divulgada pelo prefeito Fábio Martins Junqueira, em que nos ofende, atinge nossa honra e nos qualifica de mentiroso. Refutamos a fala deseducada do chefe do executivo”, escreveu em nota.

Em seguida, Carlinhos apresenta projetos onde, segundo ele, Junqueira retirou direitos das igrejas, contrariando o que afirma na postagem que fez hoje no Facebook, entretanto, o vereador não apresenta o suposto projeto que o levou a chamar os pastores para o debate, o qual foi criticado pelo prefeito.

O Tangará em Foco não teve acesso a documentos que confirmem a informação de que o prefeito queira ‘fechar igrejas’. O site continuará acompanhando o caso.

Confira abaixo a íntegra da nota de Carlinhos da Esmeralda:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Eu, vereador Carlinhos da Esmeralda (PSC), venho à público manifestar minha indignação quanto a uma nota divulgada pelo prefeito Fábio Martins Junqueira, em que nos ofende, atinge nossa honra e nos qualifica de mentiroso. Refutamos a fala deseducada do chefe do executivo, conforme segue:

O prefeito Fábio Martins Junqueira (MDB) postou, neste domingo, em suas redes sociais, um comunicado aos pastores de Tangará da Serra, para dizer, entre outras coisas, que estamos mentindo ao divulgar a informação de que igrejas poderão ser fechadas.

Fabinho escreveu:

“Ao contrário do que o vereador alega, eu revoguei até uma lei que exigia EIV de igrejas pois a Constituição Federal torna imune as igrejas a qualquer exigências de localização e funcionamento e garante imunidade fiscal de igrejas como garantia do princípio da liberdade de culto”

Em outro trecho, o prefeito questiona:

“Como pode uma pessoa ser tão mentirosa assim?”

1º Verdade: A Lei Nº 4.506, de 12 de novembro de 2015, sancionada pelo prefeito Fábio Martins Junqueira, torna obrigatório o Estudo de Impacto de Vizinha (EIV) e o Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV). No Anexo I dessa lei, estão relacionados os empreendimentos e atividades obrigadas a elaborar o EIV e RIV, entre eles, Templos e locais de cultos, independentemente do tamanho da área utilizada.

2º Verdade: A Lei Nº 5.026, de 01 de outubro de 2018, sancionada pelo prefeito Fábio Martins Junqueira, alterou a redação do Anexo I, porém manteve inalterada a exigência de EIV e RIV para Templos e locais de cultos.

3º Verdade: A Lei Nº 5.086, de 19 de dezembro de 2018, sancionada pelo prefeito Fábio Martins Junqueira, mais uma vez alterou a redação do Anexo I e outra vez deixou inalterada a exigência de EIV e RIV Templos e locais de cultos.

4º Verdade: o prefeito Fábio Martins Junqueira falta com a verdade e com o temor de Deus quando diz que “revogou uma lei que exigia EIV de igrejas”.

Faço aqui um apelo ao prefeito para que mostre aos pastores e a toda a sociedade tangaraense a lei que desobriga as igrejas de fazer Estudo de Impacto de Vizinhança.

Faça isso e prove que estamos faltando com a verdade ou cale-se, ao invés de proferir ofensas a quem apenas cumpre seu papel de defender os interesses da sociedade.

Tangará da Serra/01 de dezembro de 2019

Vereador Carlinhos da Esmeralda.

TANGARAEMFOCO


1070x100

Click Denise

Todos os direitos reservados
É proibido a cópia total ou parcial do conteúdo, e a reprodução comercial sem autorização.
Denise- MT

Contato

Redes Sociais

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo